quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Por Onde Anda Antônio da Natividade?

Antônio da Natividade ao Centro

Continuamos na busca incessante do resgate da história do Futebol da nossa região. A procura pelo passado nos leva a crer que o esporte, mesmo com as inumeráveis dificuldades, naqueles tempos tinha mais organização, vontade e paixão por parte daqueles que faziam o espetáculo do que nos dias atuais.

Há alguns dias, deparamos com uma placa na parede da sala dos Árbitros no Estádio João Tanajura em Paramirim. O seguinte dizer estava e está estampado na placa: “Sala Antônio da Natividade 'Tõe Preto' Homenagem a uma Pessoa que tanto contribuiu para o nosso Futebol. Durval Marques Leão Prefeito Em 16 - 09 - 88”.  Indaguei algumas pessoas ligadas ao esporte que estavam ali presentes sobre quem seria Antônio da Natividade, não obtive resposta. Se ele ganhou uma homenagem é porque algo ele tenha realizado. Conversando com meu pai (Dormário Viana Cardoso) ele nos disse que o homenageado foi um dos melhores goleiros do futebol da nossa região e nos deu mais detalhes, esses fazem parte deste texto. Antônio da Natividade, como quase todos de Paramirim e Érico Cardoso, também teve um apelido, Tôe Preto. A história nos mostra que a princípio ele residia em Paramirim, mas certo tempo casou-se com uma moça de Água Quente e para lá foi morar. No futebol defendia as cores do Bangu e da Seleção local, foi por muito tempo, juntamente com os zagueiros Gentil e Mirim, o Trio Final da Seleção de Água Quente. Trio Final era os três homens da defesa, os dois zagueiros e o goleiro. Tôe Preto era goleiro, contudo nos treinos gostava de se aventurar pelo ataque, era cheio de peripécias. No gol adorava ficar adiantado, quando a bola vinha alta ele simplesmente a deixava passar somente para apanhá-la de costas, parecia a um gato. Pelo corpo carregava muitas marcas e calombos, como não tinha medo, mesmo em campo de terra batida, voava da forma que fosse para fechar o gol, nesses pulos e nos vários contatos com o chão nasciam e cresciam os hematomas. Quando o emprego ficava difícil na região era obrigado a se mandar para São Paulo. Nesse vai e vem, em um dado dia, retornava a sua terra natal, porém por aqui não chegou, no ônibus apenas vieram as sua malas. O que teria acontecido com Antônio da Natividade, ninguém sabe dizer ao certo. Uma pessoa foi até São Paulo na época para ver se encontrava notícias dele, tudo em vão. Faz uns quarenta anos desse acontecimento. Antônio da Natividade é pai de Sonzinho que jogou um bom tempo pela Seleção de Paramirim.

Não conhecemos a história dele enquanto viveu em Paramirim.

Se você, leitor, tiver mais dados para acrescentar sobre Antônio da Natividade fique a vontade para deixar o seu comentário.
Antônio da Natividade Campeão em 1964 pelo Bangu

Homenagem a Antônio da Natividade


4 comentários:

  1. Bill: Conheço essa estória de "Tõe Preto", mas não tive a felicidade de vê-lo jogar nem de conhecê-lo, mas seguramente seria o goleiro do meu time. Tive o prazer algum tempo depois de conhecer o seu filho "Sonzinho",bom rapaz e jogava como atacante, rápido e dava trabalho à defesa adversária. Quando treinava contra mim ele me respeitava, porque eu não lhe dava folga, pois ele era muito arisco e escorregadio. Bons tempos ! Por onde ele anda ? Sugiro que vc. faça uma reportagem c/ele.
    Abs.,
    ALCTanajura

    ResponderExcluir
  2. Olá Bil Sempre bom lembrar quando eu ia atuar como árbito no estádio joão tanajura, ao olhar essa placa na parede vi que tinha meu sobre nome quando lir por completa vi que se referia ao meu avô, minha felicidade era poder mostrar para meus amigos a homenagem a aquela pessoa que nao pude conhecer e que era sangue do meu sangue. Sonzinho meu tio hoje reside em vitória da conquista ele que se destacou também e fez sua história ao lado de sereno onde chegou a ser implorado a fazer parte do profissional da capital como naquela época as familias mais humildes eram voltados aos estudos minha vó dona zelinda interrompeu essa sua carreira.
    Gostaria de agradeçer você por essa simples recordaçoes onde tive o prazer de conhecer mais um bom exemplo de familia que mesmo por fotos...
    grato Isaque Natividade

    ResponderExcluir
  3. olá..me emocionei com a reportagem.....estive com sonzinho em janeiro la em paramirim...jogamos juntos...se lembram de Edilberto Brasil?abraço

    ResponderExcluir
  4. Sonnatividade@gmail.com28 de junho de 2013 10:33

    Olá Bill.Meus cumprimentos por ter lembrado do meu pai.Estou preparando um histórico completo sobre ele.Teve 06 filhos, 13 netos e até o momento 04 bisnetos.Quando criança eu o acompanhei jogando em várias cidades e garanto que ao lado de Beto Caçote(B.J.da Lapa),Zé Golita(Livramento),Nilão(Macaúbas/Boquira),foram os maiores goleiros da região de todos os tempos(Futebol Amador).Obrigado a todos: Sonzinho Preto.

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário